segunda-feira, 29 de junho de 2015

1500 metros pista + Grande Prémio de Casal de Cambra

Este post já vem com uma semana de atraso, mas não deu para o colocar online mais cedo.

Pois, é no passado fim de semana de 20 e 21 de Junho foi dia de jornada dupla. No sábado eram os 1500 metros em pista com objectivo de bater o recorde pessoal e no domingo era dia de fazer o Grande Prémio de Casal de Cambra.

E para resumir este fim de semana desportivo uma palavra basta: agridoce. Mas já lá vamos.

Ora no sábado havia prova de 1500 metros no Seixal como parte do troféu da região e o objectivo era fazer a prova para bater o recorde pessoal à distância correndo pela equipa A Natureza Ensina.

Chegando à pista debaixo de um calor arrasador (acima dos 30º) fui aquecer com o Pedro Barata da equipa e lá fomos para a partida.

Não sabia bem como ia ser o nível da prova e a minha esperança era que houvesse um comboio durante parte da prova que me levasse a fazer um tempo decente. Ora dada a partida vi logo que nada disso ia acontecer: 2 atletas esticaram, assim como o Pedro e fiquei durante uma volta a tentar colar ao Pedro.
1ª volta: A tentar colar ao Pedro (Foto de Sofia Bastos)
Depois de finalmente me conseguir juntar a ele, sabia que um lugar no pódio iria ser discutido entre eu e ele pois a distância tanto para a frente como para trás era já considerável. Por outro lado o objectivo do dia era a marca em si, pelo que à entrada para as 2 últimas volta passei para a frente na esperança que conseguisse abrir alguma distância para o Pedro.

Corrida sincronizada? (Foto de Sofia Bastos)
Nada disso, passámos colados à entrada para a última volta e nos últimos 200 metros tentei forçar mais um bocadinho e o Pedro respondeu. Na recta da meta foi vê-lo a passar por mim tipo flecha e eu sem hipótese de responder.

Faltou um bocadinho assim! (Foto de Ana Paulico)
No final foi um 4º lugar com o tempo de 4:46 baixando cerca de 15'' ao tempo anterior de referência. Por um lado tem a parte boa de ter baixado o tempo, por outro tem a parte má de não ter havido comboio e ter eu andado a puxar grande parte da prova o que provoca sempre maior desgaste, além do 4º lugar sem sempre assim um lugar manhoso.

Para recordação fica o vídeo da prova:


No dia seguinte foi dia de enfrente a muito duro corrida de Casal de Cambra novamente com muito calor.

Depois de fazer o aquecimento com o meu pupilo Jota Jota fomos para a partida à espera que fosse dada a ordem de partida o que ocorreu com atraso. Esta é daquelas provas que é durinha até não poder mais.

Logo após a partida toca a trepar 500 metros e daí para a frente é um sobe e desce constante com uma ou outra parte plana pelo meio.

Depois do pelotão andar um pouco esticado assim que acabou a primeira subida vi-me próximo do Jota (cerca de 10 metros de distância, mais coisa menos coisa) durante quase toda a prova sabendo que estávamos em 4º e 5º, respectivamente.

Na entrada para a subida mais dura do dia foi quando passei pior como se vê pela cara de esforço aqui em baixo.

Sofre, sofre (Foto de Luís Clara Duarte)
Sofre um bocadinho menos agora (Foto de Armindo Santos)
No entanto, assim que entrei na parte de plano comecei a sentir melhores sensações. Mais um bocadinho de sobe e desce e a 2 km dos fim vejo que o 3º classificado começa a quebrar e faço um esforço para diminuir a distância o que veio a acontecer acabando por colar ao Jota e indo os dois a puxar alternadamente.

Com 1 km para o fim e cada vez mais perto do 3º classificado vemos um senhor (da organização) a que nos manda para um rua e nós seguimos, qual não é o nosso espanto como ao virarmos para a estrada principal começamos a ver montes de malta a passar.

Tal até nem podia ser muito estranho, caso não fossemos ter olhado para trás antes e sabermos que tínhamos cerca de 300 metros de vantagem para quem nos seguia.

Depois de dizer uma asneiradas e de vermos quem nos tinha passado rapidamente compreendemos que chegar ao pódio já não dava e lá fomos a andar bem mas mais lento até à meta. No final vimos que fizemos cerca de 400 metros a mais que outros atletas que nos passaram à frente.

"Aquela molhada toda passou-nos à frente!" (Foto de Armindo Santos)
No final deu um 6º lugar que na verdade seria um 4º e eventualmente 3º pois da maneira que íamos a puxar antes de vermos o que tinha acontecido estávamos muito próximos do 3º classificado do dia.

E pronto, penso que agora compreendem o porquê de ter sido um fim de semana agridoce.

Agora que venha daí o post sobre o terror que foi a corrida das Fogueiras!

Até lá, bons treinos e melhores corridas :)

8 comentários:

  1. Fico satisfeito por estar incluído neste teu registo que fica sempre para memória futura. Como sabes este foi o meu primeiro pódio, por isso nunca apagues o blog para daqui a 40 anos mostrar aos meus netos. :) Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Grande tempo nos 1.500 metros!

    Terror nas Fogueiras?!? Fico a aguardar

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João! :)

      Está a caminho o das Fogueiras.

      Abraço

      Eliminar
  3. De qualquer forma parabéns pelas duas provas! Pode ter sido agridoce, mas só o é quando realmente andamos lá à frente e estamos a discutir os primeiros lugares :)

    Epa nas fogueiras não pode haver terror, aquilo é lindo :)

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é sempre aquela visão do copo meio cheio vs meio vazio, mas não há muito a fazer.

      Aquilo é lindo sim, mas pode ser um terror na mesma.

      Abraço.

      Eliminar
  4. Muitos parabéns! Venha lá a posta sobre o terror das Fogueiras que a malta quer saber tudo :)

    Abraço

    ResponderEliminar